Escola de Catequese



PROJETO ESCOLA DE CATEQUESE
JAGUARÃO 


·       EM QUE CONSISTE A ESCOLA DE CATEQUESE?
·       Espaço eclesial para exercermos, como lideranças e catequistas nossa comunhão como servos de Deus.
·       Nela somos como filhos à escuta da mãe que é a Igreja. È como mãe que a Igreja educa, nos traz a orientação para caminharmos e conteúdo para aprendermos a viver nossa vocação.
·       Nestas duas dimensões da vida eclesial, queremos estruturar o projeto de nossa escola de catequese.

·       ORIENTAÇÃO:
·       Ouvir a Igreja nas suas dimensões paroquial, diocesana e universal. Trata-se do “por onde devemos caminhar”.
·       “Andar pelo caminho do “eu acho que é certo assim” não é da identidade do católico”.
·       São manuais de cabeceira das lideranças e catequistas os seguintes planos: paroquial, diocesano e do magistério universal.

·       CONTEÚDO:
·       Trata-se da Revelação de nossa fé, ou seja, o que Deus comunica para nós de seu “Mistério”. Para sermos servos de Deus, temos que ouvi-lo com paciência e zelo.
·       Para tanto, temos três grandes fontes da “voz de Deus”:

·       A CRIAÇÃO

·       A TRADIÇÃO DA FÉ NA IGREJA

·       A SAGRADA ESCRITURA
.
·       A VIVÊNCIA DA VOCAÇÃO DO CATEQUISTA
·       Nós somos vocacionados a sermos catequistas, isto significa auxiliar na formação do cristão. Para isso, temos que ter um pressuposto essencial:

·       A IGREJA É CORPO DE CRISTO.
·       O Corpo de Cristo não é uma massa, é fermento, portanto, nossa missão não está focada na quantidade, ou seja, no “tamanho do corpo”, mas em sua identidade.
·       “A Igreja tem que ser um Corpo com a identidade da Eucaristia que celebra”.
·       É a vocação do catequista e da liderança formar essa identidade e não dispensar uma quantidade de sacramentos.
·       Catequizando apto para o sacramento:
·       Não é o que aprendeu coisas, mas aquele cujo a vida traduz a Identidade Eucarística, a vida de Jesus.



MODELO DE INICIAÇÃO CRISTÃ COM INSPIRAÇÃO CATECUMENAL

Trabalhar a catequese como um “processo de iniciação à vida cristã, com inspiração catecumenal”, exige de toda a Igreja, e especialmente dos catequistas, uma “conversão” de mentalidade. Trata-se de conceber tal processo como uma caminhada espirituale não apenas intelectual, ou seja, concebendo o ser humano em sua totalidade. Trata-se assim, de buscar dos “novos cristãos” uma conversão livre e consciente, onde os sacramentos serão recebidos como sinais de uma nova vida que se constrói, dentro de um processo que se dá de forma gradual na comunidade cristã, onde o candidato recebe a formação e exercita a vida cristã. É o tempo próprio para serem trabalhados os livros “fundadores da Igreja” como Atos dos Apóstolos e as Cartas do Novo Testamento.
Inspirados no que nos coloca o magistério sobre inspiração catecumenal, podemos estruturar nosso processo de catequese em três etapas básicas:
Etapa: Período de evangelização e de anúncio, onde devemos amadurecer a vontade de seguir Cristo, vivendo o ano litúrgico. O candidato é acolhido como alguém que ainda não vive a fé, mas que tem a intenção de buscá-la.

·       Realiza-se aqui, o “rito de acolhimento daquele que procura a fé cristã”.

Etapa: Período em que o candidato já pode (por livre e consciente escolha), tornar-se membro da Igreja, onde ele é acolhido através do “rito de instituição dos catequizandos.
Os catequizandos devem caminhar focando nas seguintes questões:

a)    Acolhimento da Graça de Deus

b)    Circunstâncias humanas e pastorais: a condição familiar, pessoal, humano-afetiva, contexto social, a comunidades em que se insere, etc.

c)     Caminho pessoal de conversão do catecúmeno: é o tempo de uma progressiva mudança de mentalidade e de costumes, com consequências concretas na vida social (tornar-se um novo homem). É o tempo da construção dosvalorescristãos.
d)    É o tempo próprio para serem trabalhados os livros “fundadores da Igreja” como Atos dos Apóstolos e as Cartas do Novo Testamento.
Neste tempo, nada pode ser estabelecido a priori”!

3º Etapa: Chamado de Purificação e Iluminação. É o tempo dos sacramentos. Vivido na Quaresma, onde se procede aeleição e admissão aos sacramentos, depois do catequizando haver atingido a maturidade colocada pela Igreja:

A)   Conversão de mentalidade e costumes, ou seja, tiver assumido na vida os valores fundamentais do Evangelho.

B)   Suficiente conhecimento das verdades da fé.

C)   Senso da fé e da caridade, significa fidelidade à Igreja e à vocação de Cristo.

A eleição é feita com toda a solenidade na seguinte orientação:
* Na Quaresma, o eleito deve fazer um profundo exame de consciência, uma caminhada penitencial através da vivência do sacramento da reconciliação acompanhado diretamente pelo sacerdote.
*Entrega dos símbolos da fé, sinais de iluminação:
1º Domingo: Eleição
2º Domingo: Entrega dos Símbolos
3º, 4º e 5º: Escrutínios

Vigília Pascal: a noite dos sacramentos.

1º PERÍODO: “PRÉ-CATEQUESE” – se iniciar ainda na fase infantil, terá como idademínima 08 anos, abaixo desta faixa etária será encaminhado para grupos de pastoral com crianças.

2º PERÍODO: CATEQUESE – terá como idade mínima para a acolhida do candidato 13 anos, os pré-requisitos serão tempo de participação em grupos de pré-catecumenato e maturidade exigida de acordo com os parâmetros colocados pelo diretório de catequese.
NO SEGUNDO PERÍODO:
PARA NÃO BATIZADOS – o período mínimo é de 1ano litúrgico de frequência e compreensão necessária do mistério do BATISMO para receber este sacramento.
PARA BATIZADOS – o período mínimo é de 1 ano litúrgico de frequência e compreensão razoável da EUCARISTIA para receber este sacramento.

PARA BATIZADOS COM EUCARISTIA –. A idade mínima para receber o sacramento do CRISMA, colocada pela Igreja, é de 14 anos, além do período mínimo de 1 ano litúrgico de freqüência, garantindo uma compreensão necessária do mistério da Igreja e da vivência da fé na comunidade cristã, o que se revela no engajamento pastoral e no testemunho dos valores cristãos assumidos na vida social de forma efetiva.

CRIANÇAS: O processo descrito acima terá os períodos trabalhados por diferentes catequistas.

ADULTOS: Podemos trabalhar com os períodos em um mesmo grupo, aprofundando a dinâmica comunitária da troca de experiências.





ESQUEMA GERAL DA CELEBRAÇÃO DA MISSA
¤ Ritos iniciais
¤  LITURGIA DA PALAVRA
¤ LITURGIA EUCARÍSTICA
¤ Ritos finais


1.              RITOS INICIAIS
¨ Procissão e canto de entrada
¨ Saudação do presidente ao altar e ao povo
¨ Ato penitencial
¨ Aclamação: “Senhor, tende piedade de nós”
¨ Glória
¨ Oração inicial (coleta)

2.              LITURGIA DA PALAVRA
¨ Primeira leitura
¨ Salmo responsorial
¨ Segunda leitura
¨ Aclamação ao Evangelho
¨ Proclamação do Evangelho
¨ Homilia
¨ Profissão de fé
¨ Oração dos fiéis

3.              LITURGIA EUCARÍSTICA
¨ Apresentação das oferendas
¨ Oração sobre as oferendas
¨ Oração eucarística
¨ Pai-nosso
¨ Abraço da paz
¨ Fração do pão e canto do Cordeiro de Deus
¨ Comunhão
¨ Oração depois da comunhão

4.              RITOS FINAIS
¨ Avisos
¨ Benção simples ou solene
¨ Despedida














Nenhum comentário:

Postar um comentário