sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Mês da Bíblia 2014

Mês da Bíblia 2014: Evangelho de Mateus

             Neste ano de 2014, vamos ler o Evangelho de Mateus.

            O lema para o Mês da Bíblia, desta vez, é "Vão e façam com que todos os povos se tornem meus discípulos,batizando-os em nome do Pai, e do filho, e do Espírito Santo, e ensinando-os a observar tudo o que eu ordenei a vocês!" (Mt 28,19-20)

          Acolhemos o Evangelho de Mateus como a Nova Lei de Deus que Jesus nos trouxe. Mateus a redigiu na forma de cinco livros,como se fosse um novo Pentateuco. Os livros querem nos inserir na nova e eterna aliança realizada por Jesus, que disse:"Não pensem que eu vim abolir a lei e os Profetas. Não vim abolir, mas dar-lhes pleno cumprimento" (Mt 5,17). 

Fonte do texto:
http://portrasdapalavra.blogspot.com.br/2014/01/mes-da-biblia-2014-evangelho-de-mateus.html
Fonte da imagem do Bíblia
 http://evaldot.files.wordpress.com/2013/10/biblia20sagrada203.jpg

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Corpus Christi

 

PROGRAMAÇÃO

9h confecção dos tapetes entre as duas igrejas (Matriz do Divino eImaculada Conceição).

Às 15h Missa na Matriz do Divino Espírito Santo, logo após procissão até a Matriz da Imaculada Conceição, terminando com a bênção com o Santíssimo.

 

CORPUS CHRISTI – DEUS PARA OS HOMENS

A Festa de Corpus Christi foi instituída pela Igreja no século XIII para que os fiéis possam celebrar e adorar publicamente a “presença real de Cristo” na Eucaristia. Trata-se de um grande sinal de comunhão daqueles que crêem em Jesus Cristo. Celebrar esta festa não se reduz ao fato de os cristãos adorarem publicamente a Deus, ela é também sinal de comunhão e de partilha entre todos aqueles que crêem na presença real de Jesus conosco. Na Eucaristia, é o próprio Deus feito homem em Cristo que repete o gesto de Jerusalém e entrega-se como comunhão e partilha para que seus fiéis sejam fortalecidos e alimentados na fé. Pela Eucaristia todos participam da comunhão plena com Deus, a Igreja na terra torna-se o Corpo Místico de Cristo, sinal de um Amor que é plena comunhão, partilha e caridade.

Nesta Festa todos aqueles que crêem no Cristo, ao comungarem de seu Corpo, são chamados a realizar no mundo a mesma atitude que Ele, dar-se em comunhão para que os outros tenham vida. Se o próprio Deus partilhou-se para que tivéssemos vida em abundância, que direito tem os homens de continuarem a se apropriar do mundo e serem indiferentes às necessidades de seus irmãos? Por isso, a Festa de Corpus Christi é uma grande celebração de comunhão, solidariedade e, sobretudo, caridade, fruto de um Amor que só pode vir de Deus e alimentar nossos corações para que vivamos com sua justiça.

Sob este horizonte, esta Festa vem sendo celebrada há tantos séculos em vários lugares. No Brasil, ganhou nossas cores e coloridos especiais na confecção dos tapetes, eles simbolizam o povo que prepara o caminho para a passagem do seu Deus que se fez pão para ser partilhado. Nossa cidade repete este gesto há muitos anos, no percurso que vai da Matriz do Divino à Matriz da Imaculada, dele participam várias entidades: escolas, clubes, órgãos públicos, pastorais religiosas, que com arte e fé confeccionam os tapetes formando um grande momento de comunhão para celebrar e acolher a presença real de Cristo em nossa cidade. Todos são convidados a esta grande Festa que visa renovar e santificar o espírito de todos com os valores da comunhão e da fraternidade.

Texto: Matheus Jeske Vahl

sábado, 26 de abril de 2014

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Semana Santa 2014


PROGRAMAÇÃO DA SEMANA SANTA 2014
PARÓQUIAS DIVINO ESPÍRITO SANTO E IMACULADA CONCEIÇÃO 

13 de abril - Domingo de Ramos
·        09:00 Bênção dos ramos, na Imaculada Conceição, seguida de procissão até a Divino Espírito Santo, onde será celebrada a Missa.
·        15:00 Missa na Comunidade Nossa Senhora de Lourdes, no Cerrito.
·        19:00 Missa na Divino Espírito Santo.

14 de abril – Segunda-feira
·        14:00 às 18:00 Confissões nas duas Matrizes.
·        19:00 às 21:00 Confissões nas duas Matrizes.

15 de abril – Terça-feira
·        18:00 Celebração da Palavra na Matriz da Divino Espírito Santo.

16 de abril – Quarta-feira
·        19:30 Procissão da Via-Sacra Luminosa, da Matriz da Divino Espírito Santo até o Cerro da Pólvora.

17 de abril – Quinta-feira
·        09:00 Missa do Crisma, com Bênção  dos Santos Óleos e Renovação das Promessas Sacerdotais, na Catedral, em Pelotas.
·        20:00 Missa da Ceia do Senhor nas duas Matrizes, seguida do translado do Santíssimo. Sacramento e adoração eucarística.

18 de abril – Sexta-feira Santa
·        Dia de recolhimento, oração, jejum e abstinência.
·        09:00 As duas Matrizes estarão abertas para recolhimento e oração dos fiéis.
·        15:00 Celebração da paixão e morte do Senhor, nas duas Matrizes, com veneração do Senhor morto.

19 de abril – Sábado Santo
·        20:00 Celebração da Vigília Pascal, nas duas Matrizes, com bênção do Fogo Novo, acendimento do Círio Pascal, procissão das velas (todos devem trazer uma vela) e bênção da água do batismo.

20 de abril – Domingo de Páscoa
·        10:00 Missa na Comunidade São Luiz.
·        10:00 Celebração na Matriz da Imaculada Conceição.
·        15:00 Missa na Comunidade São José.
·        19:00 Missa na Matriz da Divino Espírito Santo.



quarta-feira, 2 de abril de 2014

Retiro do Clero 2014 - Arquidiocese de Pelotas

Presbíteros refletem sobre fortalecimento da Vocação e Missão

       "Nós padres temos que salvar a leitura orante da palavra de Deus, se salvarmos a Palavra, ela salvará o nosso ministério.
        Não é o sucesso na pastoral, não é a liderança ou o carisma em meio a comunidade, não é o prestígio, não é a realização material. Tudo isso tem sua relevância a medida em que não perdermos o fundamental, a intimidade com o Senhor Jesus; então sua Palavra
acabará por configurar todo o nosso ser, nossas intenções, nosso agir.
       Nós nos deixamos influenciar por aqueles a quem amamos, se amamos o SENHOR JESUS a quem seguimos, será ELE a grande influência das nossas inspirações e decisões"(Dom José Peruzzo)

 O clero da arquidiocese de Pelotas que esteve reunido de  24 a 27 de março, encerrou seu retiro com uma missa de envio presidida pelo arcebispo metropolitano dom Jacinto Bergmann, e concelebrada pelo bispo dom José Antônio Peruzzo da diocese de Palmas-Francisco Beltrão - PR (assessor do retiro), também pelo bispo emérito dom Jaime Chemello e padres presentes. Dom Jacinto em sua homilia exortou a todos que se mantenham firmes, sem desviar-se da missão a qual são chamados, e que todos possam estar alicerçados na Palavra de Deus.

Na ocasião foram parabenizados os padres Olavo João Gasperin, pelos seus 60 anos de sacerdócio; Pe. Luiz Neis e Pe. Claudio Alves de Deus, pelos anos jubilares (25 anos de sacerdócio). 

Em entrevista especialmente concedida à assessoria de comunicação, dom José Antônio Peruzzo, destacou que o retiro do clero teve uma temática eminentemente bíblica observando alguns dos grandes personagens que experimentaram momentos nobres e pobres em sua vocação e missão. "Acentuamos fortemente em nossos estudos durante os quatro dias, a vocação, a consciência de termos sido chamados por Deus. Em que fundamentos se solidifica, tanto a vocação como a missão?".

Dom Peruzzo destacou ainda que a sociedade atual vive um tempo em que tudo é avaliado sob critérios de produtividade de eficiência e de competitividade, em cima de resultados, mas, o sacerdócio, ministério, vocação e missão, fundamentam-se em outras realidades, ou seja, na intimidade com Deus que qualifica o coração e a pessoa do presbítero para se tornar linguagem das presenças e das ternuras de Deus pelo seu povo. Enriquecer-se de Deus para ser humanamente e espiritualmente rico em favor daqueles aos quais foi enviado. "Estudamos alguns grandes profetas, como Jeremias e Paulo que enfrentaram momentos difíceis em sua missão, a relação de Jesus com os discípulos; eles eram tão humanos como nós somos, como foram os padres de ontem e de hoje. Quantos de nós muitas vezes têm responsabilidades maiores que as próprias forças pessoais? Onde aurir forças, vigor, criatividade? Estudamos todos esses pontos através da leitura, da reflexão, do silêncio, da oração e da convivência", salientou.

Dom Peruzzo finalizou a entrevista com a seguinte mensagem: "Nós padres temos que salvar a leitura orante da palavra de Deus, se salvarmos a Palavra, ela salvará o nosso ministério. Não é o sucesso na pastoral, não é a liderança ou o carisma em meio a comunidade, não é o prestígio, não é a realização material. Tudo isso tem sua relevância a medida em que não perdermos o fundamental, a intimidade com o Senhor Jesus; então sua Palavra acabará por configurar todo o nosso ser, nossas intenções, nosso agir. Nós nos deixamos influenciar por aqueles a quem amamos, se amamos o SENHOR JESUS a quem seguimos, será ELE a grande influência das nossas inspirações e decisões.


sábado, 8 de fevereiro de 2014

Santa Bakhita rogai por nós neste teu dia

Santa Josefina Bakhita
Testemunhou com a própria vida a alegria de servir a Cristo em todos os momentos do seu dia.
Santa Josefina Bakhita
Santa irmã morena, como era conhecida, nasceu no Sudão, em 1869. Santa Josefina, como muitos naquele tempo, viveu a dureza da escravidão. Bakhita, que significa “afortunada”, não foi o nome dado a ela pelos pais, mas por uma das pessoas que, certa vez, a comprou.
Por intermédio de um cônsul italiano que a comprou, ela foi entregue a uma família amiga deste de Veneza. Ali, ela tornou-se amiga e também babá da filha mais nova deles que estava nascendo.
Em meio aos sofrimentos e a uma memória toda marcada pela dor e pelos medos, ela foi visitada pelo amor de Deus. Porque essa família de Veneza teve de voltar para a África, em vista de negócios, tanto a filha pequena quanto a babá foram entregues aos cuidados de irmãs religiosas de Santa Madalena de Canossa. Ali, Santa Bakhita conheceu o Evangelho; conhecendo a pessoa de Jesus, foi se apaixonando cada vez mais por Ele.
Com 21 anos, recebeu a graça do sacramento do batismo. Livremente, ela O acolheu e foi crescendo na vida de oração, experimentando o amor de Deus e se abrindo à ação do Espírito Santo.
Quando aqueles amigos voltaram para pegar Bakhita e a criança, foi o momento em que ela expressou o seu desejo de permanecer no local, porque queria ser religiosa. Passado o tempo de formação, recebeu a graça de ser acolhida como religiosa. Isso foi sinal de Deus para as irmãs e para o povo que rodeava aquela região.
Santa Josefina Bakhita, sempre com o sorriso nos lábios, foi uma mulher de trabalho. Exerceu várias atividades na congregação. Como porteira e bordadeira, ela serviu a Deus por intermédio dos irmãos. Carinhosamente, ela chamava a Deus como seu patrão, “o meu Patrão”, ela dizia.
Conhecida por muitos pela alegria e pela paz que comunicava, ela, com o passar dos anos, foi acometida por uma grave enfermidade. Sofreu por muito tempo, mas na sua devoção a Santíssima Virgem, na sua vida de oração, sacramental, de entrega total ao Senhor, ela pôde se deixar trabalhar por Deus, seu verdadeiro libertador. Ela partiu para a glória e foi canonizada pelo Papa João Paulo II no ano 2000.
Santa Bakhita, rogai por nós!
 Fonte: http://santo.cancaonova.com/santo/santa-josefina-bakhita/